Auditorias e Diagnósticos – ferramentas de gestão

As auditorias e diagnósticos são excelentes ferramentas de gestão que permitem às empresas conhecerem como se posicionam em relação a um determinado referencial e/ou objetivo. Funcionam de modo semelhante -isto é, uma equipa, preferencialmente exterior ou pele menos sem responsabilidades nas áreas em análise, analisa e avalia as práticas e/ou desempenho da empresa- e produzem resultados que permitem à empresa conhecer os seus pontos fortes e fracos e assim determinar áreas de melhoria e/ou orientações estratégicas.

As auditorias pretendem avaliar a empresa face a um determinado referencial, como são exemplos as normas de sistemas de gestão, e podem ser de 1ª parte (promovidas pela própria organização) ou de 2ª parte (promovidas pro entidades exteriores à organização, como clientes ou fornecedores). A sua preparação e desenvolvimento tem por base as orientações da norma ISO 19011.
As auditorias permitem à empresa reconhecer as situações que carecem de correção perante um referencial específico, identificar oportunidades de melhoria e, ainda, comprovar a eficácia de processo(s) e/ou de ações desenvolvidas.

Normalmente com um diagnóstico pretende-se analisar o posicionamento da empresa face a determinado objetivo ou forma de proceder. Poderá ter como base referenciais legais, normativos, contratuais ou outros e visam fornecer uma orientação clara, independente, objetiva e fundamentada sobre os principais pontos a atender em face do objetivo estabelecido.

Como áreas tradicionais da nossa atuação neste âmbito realçamos:

  • Análise de processos   Iporocessos- http://iprocess.com.br/bpm/arquitetura-de-processos//Agradecimentos
  • Análise e Redesenho  de Processos

    “Processos definem o fluxo de atividades e o mapa de como as atividades operacionais juntas contribuem para produzir um produto ou serviço. Assim, os processos definem o que será feito e como será feito. Entretanto, poucos processos têm sido formalmente desenhados na maioria das organizações. A maioria simplesmente evoluiu com o tempo para entregar produtos ou serviços específicos. Essa evolução tem sido normalmente baseada na necessidade de “concluir o trabalho”. E devido a todo negócio ser dinâmico, a necessidade de “concluir o trabalho” tem exigido mudanças constantes no trabalho e no modo como é executado. Assim, apesar de serem operacionalmente bem-sucedidos, a maioria dos processos é implantada de forma menos eficiente do que poderia ser.” [BPM CBOK 3.0]

    As organizações mais eficientes entendem que elas entregam valor ao cliente através da execução dos seus processos de negócio, e que seus resultados estão intimamente ligados ao desempenho dos mesmos. O desempenho dos processos pode ser otimizado através do trabalho de análise e redesenho, que analisa a situação atual (AS IS), investiga pontos focais relacionado às metas de desempenho desejadas e propõe ajustes no processo buscando sua melhoria, resultando em uma visão de futuro (TO BE) que, quando implantada, deverá fornecer ao processo ganhos significativos na sua execução.
    Nos projetos de Análise e Redesenho, a iProcess aplica seu expertise em processos, realizando a coleta e análise de informações para um diagnóstico do processo e propondo uma nova visão alinhada à estratégia organizacional do cliente.

    Objetivos

    um

    Realizar uma avaliação da situação atual do processo, investigando os aspectos que precisam ser analisados de acordo com as metas de desempenho desejadas e identificando as melhorias que conduzirão aos resultados esperados.

    dois

    Propor um novo desenho para o processo de negócio de acordo com os objetivos estratégicos do cliente, gerando uma visão de futuro (nova versão do processo) com ganhos efetivos de eficiência, eliminação de atividades que não agregam valor, otimização de custos e recursos e melhoria da qualidade.

    tres

    Planejar as ações para a implantação e acompanhamento da nova visão de processo.

    Metodologia:

    analise-e-redesenho

    Entregáveis:

    O resultado do projeto será materializado através de:

    • Documentação da Análise do Processo com os problemas e oportunidades de melhoria encontrados;
    • Visão Futura do Processo com as melhorias aprovadas pelos responsáveis pelo processo;
    • Pacotes de Implantação das Melhorias com a agenda de melhorias organizadas de acordo com a sua prioridade;
    • Plano de Ação para Implantação dos Pacotes com as ações necessárias para implantar a visão futura do processo;

 

  • Conformidade legal dos Processos

 

Branding e Função design na empresa

Branding é portanto uma atividade estratégica, de conceituação e planejamento. Vai muito além do logotipo ou da identidade visual da empresa. O objetivo de um projeto integral de Branding é alcançar uma posição única na mente e no coração do consumidor da marca.

isso  é branding

O que é Branding?

O que é Marca?

A marca é o conjunto de características tangíveis e não tangíveis materializados em logo, grafismos, mascote, música, entre outras manifestações. Se gerenciadas adequadamente, trazem valor a marca devido à influência causada na decisão de compra. A marca de uma empresa tem que sintetizar todos os valores e soluções para possíveis necessidades dos seus consumidores.

Branding

Branding é o agrupamento de soluções que uma marca necessita para sobreviver no mercado. Ele abrange desde a criação de uma nova marca, na administração da mesma e no reposicionamento de marcas existentes que passam por dificuldades. Ele se divide nas seguintes etapas: Detalhamento do Público-Alvo, Posicionamento da Marca, Construção Multissensorial.  

Branding: 35 dicas para criar uma marca multissensorial

5/5 ( 100% )
based on 3 ratings

O Branding Sensorial pode ajudar a sua empresa a se posicionar melhor no mercado, o segrego é explorar os 5 sentidos dos seus clientes. Veja abaixo 35 dicas que selecionamos para você utilizar em sua atual ou futura marca.

A DICA 35 É INFALÍVEL!

  1. Use e abuse de todos os 5 sentidos do consumidor
  2. As marcas têm que oferecer uma experiência sensorial e emocional plena.
  3. A emoção dribla a razão e influencia no processo decisório. Por isso pessoas pagam muito mais caro por algumas roupas importadas de marca, com qualidade similar às nacionais.
  4. Uma pessoa que nos cumprimenta com a mão mole nos passa a impressão imediata de uma pessoa sem força e sem personalidade. Com a sua marca é igual, ela tem aproximadamente 2 segundos para causar uma impressão instantânea sobre nós.
  5. Psicólogos comportamentais afirmam que 80% das impressões que formamos quando nos comunicamos com outras pessoas são não verbais. A marca está bem próxima disto ao interagir com o consumidor.
  6. Uma marca multissensorial desperta mais pensamentos positivos do que uma marca que utilize apenas um dos cinco sentidos.
  7. Os estímulos sensoriais estimulam nosso lado irracional e se incorporam a memória a longo prazo, consequentemente influenciando nosso processo decisório.
  8. “O cheiro se conecta a memória, o som se conecta ao ânimo. O som na verdade cria o ânimo, assim como sentimentos e emoções.” (brandsense)
  9. “Acenda o estopim do olfato, e as memórias explodem todas de uma vez. Uma visão complexa salta fora do matagal” (Dianne Ackerman)
  10. O truque é explorar cada contato que a marca tem com o consumidor, de forma que cada parte seja tão forte sozinha e ao mesmo tempo tão bem integradas que elevem a marca a um novo patamar de posicionamento no mercado, influenciando os cinco sentidos do consumidor.
  11. A marca não é apenas o logotipo, é toda a parte visual, o som, a textura, o paladar e o olfato, ou parte deles.
  12. Toda a comunicação da empresa, em todos os aspectos, desde o atendimento, música ambiente, aromas até sinalização, cores, uniformes, entre outros, devem estar em harmonia com o conceito de marca para unificar a experiência sensorial do cliente.
  13. Imagem, cor, formato, linguagem, ícone, som, forma de utilização do produto ou serviço, comportamento dos funcionários, funcionamento do serviço e história da empresa, são todos pontos a serem trabalhados pela Consultoria de Branding.
  14. “Quanto mais forte for a personalidade da marca, mais humana ela será – e menos focada no produto, daí a maior facilidade para o consumidor associar palavras, frases e afirmações com a marca.” (BrandSense)
  15. A marca deve comunicar suas características em cada pequena peça de comunicação, sem exceção.
  16. As marcas podem ser construídas por som (música de fundo em lojas, toque de celular, chamada em espera, etc)
  17. Quanto maior o contato sensorial da marca com o consumidor, mais forte será a ligação entre ambos.
  18. As marcas multissensoriais podem sustentar preços mais altos do que marcas similares com menos características sensoriais.
  19. Nossos sentidos estão totalmente interconectados. Saboreamos com o nariz, vemos com os dedos e escutamos com os olhos.
  20. “O som é fundamental para construir o clima e criar a atmosfera do que está sendo narrado. O som está interconectado com os nossos circuitos emocionais.” (Brand Sense)
  21. O olfato é de longe o sentido mais persuasivo.
  22. Formatos distintos de produtos criam o mais sólido alicerce para a construção da marca em todos os meios de comunicação.
  23. Antigas emoções podem ser relembradas instantaneamente com uma simples fragrância antiga que vivenciamos anteriormente. As marcas devem utilizar deste artifício.
  24. Temos maior capacidade de recordar essências e odores do que recordar o que vimos.
  25. A atenção das pessoas por mensagens visuais está diminuindo, devido a quantidade de informações são expostas. O que resta é apelar para os outros sentidos.
  26. As pessoas pagam mais e qualificam melhor os produtos, se o ambiente em que estão possui um aroma agradável do que simplesmente não possuir cheiro nenhum. Um aroma agradável aumenta  as vendas consideravelmente.
  27. Um contato multissensorial rompe obstáculos.
  28. As pessoas precisam de todos os seus sentidos para avaliar uma escolha por completo.
  29. Explorar os 5 sentidos do consumidor é a forma de deixá-lo mais emocional do que racional e por fim induzir comportamentos.
  30. “Estímulos de marca criam lealdade a longo prazo. Os estímulos sem marca criam padrões comportamentais impulsivos.” (Brand Sense)
  31. Demonstrar que a concorrência é o inimigo e você o mocinho (ver propagandas da Apple se colocando como “mocinho” em relação a “vilã” Microsoft).
  32. Criar uma grande história
  33. Gerar grandiosidade
  34. Ter uma receita secreta (ter um ingrediente ou sabedoria que é secreta e só a marca pertença)
  35. Aplique “10 regras do Brand Sensorial” (Brand Sense)
  1. Sensação de pertença
  2. Visão Clara
  3. Inimigos
  4. Evangelização
  5. Grandiosidade
  6. Contar Histórias
  7. Apelo Sensorial
  8. Rituais
  9. Símbolos
  10. Mistério

 

Artigo escrito por Bruno de Avila

Detalhamento do Público-Alvo

Pesquisa, pesquisa e mais pesquisa. É o momento de descobrir quem é o público-alvo da empresa, segmentar ao máximo e pontuar com detalhes as características deste grupo. Pois só com estas informações será possível desenvolver um trabalho de forma precisa.

Posicionamento da Marca

Com o público-alvo bem definido e segmentado, é hora de descobrir qual será a melhor identidade de marca para atingí-los. Deve-se analisar este público para definir quais são as expectativas que eles têm sobre o produto ou serviço da empresa. Assim conseguiremos pontuar a personalidade que a marca deverá ter, como se fosse uma pessoa. A marca tem que ter uma imagem “materna”? Ou ela deverá parecer um “garoto extrovertido”? São estas características subjetivas que farão os consumidores se identificarem com o produto ou o serviço oferecido pela empresa. Quer gerar dinheiro a longo prazo? Então pense em planejamento!

Construção Multissensorial

Já foi definido quem será o público-alvo e qual a imagem que a marca deve ter? Agora é o momento de construir a marca , ou retificá-la caso ela já exista. Deve-se nesse estágio, explorar TODOS os pontos de contato com o consumidor, ser multissensorial, abordando todos os 5 sentidos. Não basta apenas criar o logo, mas também pensar no aroma, na textura, som e, dependendo do caso, no paladar também! Pois só assim a empresa conseguirá atingir de forma eficiente a mente do publico-alvo definido anteriormente. Estamos acostumados a ver muitos anúncios e logotipos todos os dias, e isso já saturou a vida de todos. O resultado é a queda na eficiência apenas visual da marca. Marcas que exploram mais sentidos têm muito mais chances de serem memorizadas e absorvidas pela mente do consumidor.

 

Artigo escrito por Bruno de Avila

 

 

  • Imagem e comunicação
  • Indicadores de desempenho
  • Sistemas de gestão (ex: ISO 9001, ISO 14001, ISO 27001, OHSAS 18001)
  • Desempenho energético de frota (RGCE)